terça-feira, 29 de março de 2011

Europa Unida..."merdelim" e "conifrácios"




Leio em Camus:

"Obedecei, dizia Frederico, o Grande, aos seus súbditos. Mas ao morrer declarava: Estou cansado de reinar sobre escravos."

Iluminado pela razão, no século dela, este Frederico. Morreu cansado, coitado! Aos anos que um espeto o infernal o tem grelhado calmamente nas diabólicas brasas. Dizem que Frederico - O -Grande está a ficar tostadinho...para já de um dos lados.


E os miseráveis que reinam agora gostando de reinar sobre escravos, nem disso têm consciência. Custos da democracia, dirão os bem intencionados.



Seja, mas porque carga d'água, é que a essência da democracia tem colocado em determinadas democracias europeias ( serão mesmo?) autênticos filhos da puta "democráticos", bestas incultas, indigentes intelectuais de notinhas de fim-de-período , aplicadinhos universitários, ou galãs que desonram o azeite nacional?

Porque razão uma Europa de uma riqueza histórica notável tem que albergar na mesma década no mesmo período toda uma orda de medíocres? A"coisa" berlusconiana, a atraso mental sarkoziano, o "branco mais branco não há" cameron, o prestigiador que magoa as palavras, sócrates,(e no futuro o "acrobata "Coelho ), um "sapateiro" espanhol, o curvado papandreou, a kennyinha trevozinha e essa estirpe entre bruxa feia e frankestein, da Alemanha?



Azar, dirão alguns...outros, que nem há razão de queixa quanto a herdeiros, porque Tachter, Gonzalez, Spadollinis, Miterrand, Khol e afins mostraram à saciedade como sendo-o, se pode montar tudo no circo para parecer que não o é ! Grandes políticos!? Como...diga lá outra vez? Grande merda...corrija-se!



Ou talvez nem sejam eles, sejam outros mascarados de Mercados Internacionais que ninguém sabe muito bem o que são. Digamos em linguagem crua, que talvez os "Proxenetas" dos filhos da puta. Depois, bem depois, as clientelas das ditas, de jornalistas a justiceiros. que quase torna isto numa Europa - lupanar grandioso. Porque razão se há-de fazer concorrência à legal e verdadeira profissão?


Uma Europa de verdadeiros escravos. Uma Europa de merdelim e de aldrabões encartados que nela nos meteram. Alguns, economistas de renome. Gosto das Faculdades de Economia e da Economia. Deve ser a Ciência de que mais se fala e que menos serve seja para o que for. Talvez um simples ensino chegasse: os que roubam versus os que são roubados. Burros! Progresso económico infinito? Como se os recursos são finitos? Como resolver a questão do Homem-Máquina-Emprego-desenvolvimento das economias adormecidas? Pensavam que o paternalismo económico ia durar sempre, e que aprendíamos, os outros não o podiam fazer? Coitado do etnocentrismo Europeu!

O que virá não sei, mas pior não pode ser! Ou...pode?


Uma Europa podre, falida, culturalmente fétida, dominada por mãos invisíveis que manobram a seu belo prazer títeres políticos. Uma Europa, ou pelo menos parte dela, sem coragem, sem garbo, sobrevivente. E pensar na grandeza histórica de uma Grécia, de um passado corajoso de Portugal, da pátria de Cervantes, Unamuno, Picasso ou Dali, ou de uma Irlanda independente e garbosa , e hoje autênticos meninos-orelhas de burro, cabisbaixos e quase sem alma! Dominados, como animaizinhos amestrados em jogo circense.


Vai para dias a bruxa feia aparentada a Franstein dava ordens claras aos políticos portugueses. Como criança que roubou rebuçados, calados quem nem ratos os nossos! Nem um a mandou à Merckl, que em português podia ser às origens da dita! Nada! Políticos- Conifrácios que nem conhecem Rafael Bordalo Pinheiro!

Ah! Gosto de quem vota para as instituições europeias! Posso-lhes indicar onde existem umas lojas no Porto onde se vende cabedal preto, máscaras e chicotes para sado-masoquismo. Ou se preferirem dois ou três bons Psiquiatras!


2 comentários:

Raul Emilio Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raul Emilio Martins disse...

Bem ao teu jeito.
Mas fica-me a mesma pergunta que escreveste: "O que virá não sei, mas pior não pode ser! Ou...pode?"
Tenho mesmo medo que seja pior, não, bem pior!