domingo, 1 de janeiro de 2012

TODO CAMBIA...Mercedes Sosa

Neste início do ano. Quanto às “festas”, dividido entre o ainda bem que acabou e deus queira que para o ano se repita. Confuso sobre os tempos presentes e apreensivo sobre os futuros. Não sei os caminhos a percorrer, as veredas a escalar, as vastidões desérticas de sentido, de humanidade, que me querem impor, e que terei de palmilhar.


Sei muito pouco e certezas quase nenhumas: apenas aquelas que o meu anjo interior me vai sussurrando – a luta, o combate interior como condição necessária para o exterior e, como canta a “minha Negrita” mudar, mudar sempre com o que nunca muda nem mudará: o Amor, naquilo que verdadeiramente ele personifica. E melhor do que ninguém, essa Mulher grandiosa, vertical, o soube transmitir muito para além da latinidade. Mercedes Sosa. Foi das mulheres mais amorosamente lutadoras que fui conhecendo. A sua voz forte, solidária, guerrilheira e franciscana, mas ao mesmo tempo sedosa, tem sido meu lenitivo, minha companheira de anseios e canseiras vai para meses.


"Todo Cambia", só o amor se deve manter. Assim seja, e já gora um meu pedido: que não mude muito a serenidade que vou sentindo frente ao despojo e essencialidade da vida. Ele percebe-me (claro!), os Meus percebem-me! ( claro!).



Todo Cambia

Mercedes Sosa

Cambia lo superficial
Cambia también lo profundo
Cambia el modo de pensar
Cambia todo en este mundo

Cambia el clima con los años
Cambia el pastor su rebaño
Y así como todo cambia
Que yo cambie no es extraño

Cambia el mas fino brillante
De mano en mano su brillo
Cambia el nido el pajarillo
Cambia el sentir un amante

Cambia el rumbo el caminante
Aúnque esto le cause daño
Y así como todo cambia
Que yo cambie no es extraño

Cambia todo cambia
Cambia todo cambia
Cambia todo cambia
Cambia todo cambia

Cambia el sol en su carrera
Cuando la noche subsiste
Cambia la planta y se viste
De verde en la primavera

Cambia el pelaje la fiera
Cambia el cabello el anciano
Y así como todo cambia
Que yo cambie no es extraño

Pero no cambia mi amor
Por mas lejo que me encuentre
Ni el recuerdo ni el dolor
De mi pueblo y de mi gente

Lo que cambió ayer
Tendrá que cambiar mañana
Así como cambio yo
En esta tierra lejana

Cambia todo cambia
Cambia todo cambia
Cambia todo cambia
Cambia todo cambia

Pero no cambia mi amor...

2 comentários:

Raul Emilio Martins disse...

Obrigado por nos continuares a presentear com as "confidências" que o teu "anjo" interior te vai fazendo.
...
E que no meio da luta e da caminhada, agarremo-nos ao amor, por "amor que é amor" nunca morre...
...
Abraço.sorriso.aternuração como incentivo mútuo neste ano de 2012.

IC disse...

"Confuso sobre os tempos presentes e apreensivo sobre os futuros."
Caro EI, confesso que mais do que confusa, comecei foi por me sentir atónita, como se o meu ciclo de vida fosse terminar no seu início - não à criança, que essa perdura como a essência do que (alguns) fomos depois, mas ao país, e ao mundo que tanto acreditámos poder ser melhor. Mas, sobre os futuros (não me importo que já não seja meu se for o dos meus netos), resta-me a Esperança, que é a coisa mais teimosa em mim. E terão que ser os mais novos do que eu que terão que a alimentar, e também que lutar para que se concretize.
Se o Raul me permite, uso as suas palavras:
Abraço, sorriso, aternuração como incentivo para ti e para ele neste ano de 2012 (incentivo também para mim, mas esta velhota já em quase nadinha pode contribuir na luta e na caminhada, restando-lhe os sentimentos de esperança e amor)