domingo, 9 de novembro de 2008

Estive Lá e..."Paripatetismos"




Um mar de gente. Estive lá. Tinha de estar lá, contra muita coisa, nomeadamente contra um sistema de avaliação que se tornou claustrofóbico, autofágico de uma classe docente que cada vez mais se vai sentindo "açaimada" por um poder autista, autoritário, demente de arrogância.Mas o José Matias Alves no seu Terrear e na sua bela postagem " Dos Sinais e das Evidências", já disse o essencial. Por muita coisa e alguma que só aflorada foi nos discursos (porquê?) , nomeadamente o novo-futuro sistema de gestão das escolas, que atropela claramente a Lei de Bases do Sistema Educativo.
O que foi dito ainda durante a marcha e que ouvi pela rádio e, depois nessa noite, bem como o que ouvi hoje por parte daqueles que acham que nos governam, apenas e só me levaram com ironia, algum cinismo confesso, e sem saber porquê, a reler-relembrar alguns belos textos poéticos da Adília Lopes:


“Não sei se para as baratas há sujo e limpo: sei muito pouco de baratas. Sei que, quando vejo uma barata de pernas para o ar a espernear virada ao avesso, a ajudo a ficar em pé. A barata não está habituada a ser ajudada. Estranha. Esperneia cada vez mais. Às vezes trepa-me para a minha mão. E não sei se se sente agradecida. No fim, mal fica de pé, corre muito depressa para debaixo dos móveis.

(era uma vez uma barata que fazia operações: tirava da barriga das pessoas tostões)”




“Tenho uma doença mental, tenho uma doença de pele. A pele é exterior, o cérebro é interior. Tenho um eczema, tenho uma psicose. Às vezes penso que a pele é interior e que os meus miolos estão à mostra como a mioleira de vaca no balcão do talho”



“Pateta, patética, peripatética: eu “ ( Eles, coitados!)


Um comentário:

bulimunda disse...

Eu também estive..e o momento alto foi o hino nacional..seriam todos comunistas como o nosso 1º diz..?
http://bulimunda.wordpress.com/