sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Hallelujah

Não...Não é pelo entendimento a 8. É mesmo Hallelujah!

E por falar de amor. Uma das grandes canções de amor de todos os tempos. Original de Cohen, que a cantou, mas que reconheceu que esta canção é efectivamente a da voz do anjo de asas caídas com breve passagem pela terra, Jeff Buckley, que a interpreta como quem desesperado ama com passagem assegurada para outro voo, como efectivamente aconteceu. Tradição, código genético de desolação interior, como já tinha acontecido com o seu pai, Tim Buckley. Cá em casa gostamos destes anjos, Buckley, Nick Drake, Elliott Smith e, como os anjos não têm sexo, Laura Nyro, Judee Sill, Sandy Denny, entre outros e outras.




video


Hallelujah

Jeff Buckley

Composição: Leonard Cohen

I heard there was a secret chord
that David played and it pleased the lord
but you don't really care for music do ya
Well it goes like this the fourth the fifth
the minor fall and the major lift
the baffled king composing hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah

Well your faith was strong but you needed proof
you saw her bathing on the roof
her beauty and the moonlight overthrew you
she tied you to a kitchen chair
she broke your throne and she cut your hair
and from your lips she drew the hallelujah.

Hallelujah,hallelujah, hallelujah, hallelujah

Baby I've been here before
I've seen this room and I've walked this floor
You know, I used to live alone before I knew you
And I've seen your flag on the marble arch
and love is not a victory march
it's a cold and it's a broken hallelujah

Hallelujah,hallelujah, hallelujah, hallelujah

Well there was a time when you let me know
what's really going on below
but now you never show that to me do you
but remember when I moved in you
and the holy dove was moving too
and every breath we drew was hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah

Well maybe there's a god above
but all I've ever learned from love
was how to shoot somebody who outdrew you
And it's not a cry that you hear at night
it's not somebody who's seen the light
it's a cold and it's a broken hallelujah

Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah
Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah
Hallelujah, hallelujah, hallelujah, hallelujah
Hallelujah


3 comentários:

IC disse...

Descobri este blogue não há muito tempo, pois ando sempre pelos mesmos, o tempo para a blogosfera é para acompanhar as questões do ensino e da política educativa - para acompanhar essa infeliz novela. Mas é um prazer vir aqui (até quando escreveu sobre essa novela nos deu momentos de humor, o que também é saudável e sabe bem). Atrevi-me a deixar-lhe uma lembrança aqui

Ah... E foi um prazer ouvir o Hallelujah :)

Anônimo disse...

Costumo vir aqui. Gosto de vir aqui e, se me permite e porque já reparei que gosta de vozes femininas na linha da June Tabor (sem querer fazer nenhuma aproximação), deixo a seguinte sugestão:

K.D. Lang

http://br.youtube.com/watch?v=P_NpxTWbovE

E deixo também esta, mais pelo arranjo, apesar de ser John Cale!

http://br.youtube.com/watch?v=ckbdLVX736U

Um bom Domingo!
I.A.

Existente Instante disse...

Caro, ou cara I.A do fundo do coração, obrigado! A versão da K.D. Lang não a conhecia, mas é belíssima. A do Cale, bem...o Cale é "um velho conhecido cá de casa", desde os Velvet e sobretudo dessa maravilha "John Cale Paris 1919", que ouço agora ("antartica starts here") no momento em que escrevo.
O que você conseguiu! Que eu passe uns minutos deste meu sereno Domingo com o "velho" Cale! Bem haja, por isso e pelo seu bom gosto!
Isabel, que dizer? Gosto do seu blogue e dos que citei na postagem sobre Gould, em legítima defesa do meu ser profissional e da minha serenidade. Só isso! E não é pouco, acredite!