quinta-feira, 27 de outubro de 2011

DÚVIDA POUCO METÓDICA




Sou apoquentado vai para semanas com uma dúvida que nem dormir me deixa:

Qual a diferença entre um canalha mentiroso patogénico-compulsivo e um garoto aldrabão patológico - progressivo?

Depois de muito ler, de muito programa pesquisar, outra dúvida não me larga:

Porque razão uma tal Socialista Democracia, uma Social Democracia e uma Democracia Cristã se transformaram de mulheres honestas em rameiras decadentes nas mãos de proxenetas políticos sem vergonha?

Depois...depois de muito me rir da incultura política de muito professor (a), ainda me resta perguntar perante o panorama ( talvez por isso o "desestruturado humano e pedagógico" queira acabar com a História) : Duvidam ainda da existência de Classes ? Querem que faça um desenho? Não faço!

Ao que chegaram muitas das democracias europeias! Ao que as deixamos chegar!

Mas pronto, tudo passa, até ao próximo arrebite, à próxima indignaçãozinha, ao próximo desemprego de mobilidade, desde que o nosso não seja, até a um próximo orçamento retificativo que nos levará mais 5 a 10% do salário, até à nossa capitulação para a devida, obrigada e patriamorosa capitalização.

Podeis tirar-me tudo, tirar-nos tudo, porque do vosso vazio d'alma e inteligência nada nos pode alimentar, porque como o Sena dizia no seu "Camões..."
(...)
Nada tereis, mas nada: nem os ossos,
Que um vosso esqueleto há-de ser buscado,
Para passar por meu. E para os outros ladrões,
Iguais a vós, de joelhos, porem flores no túmulo.

Ah! O resto, os comentadores, ex-governantes, economista encartados e sem ela opinion qualquer coisa, politólogos, emerdadores das almas, "martelos" , conselheiros e olheiros, vendedores de banha da cobra, Mirantes Bic-vapouruv, editores de, cobridores de outros tantos, e por aí fora ...façam um favor tremendo a uma raça que muito aprecio, DEIXEM-NOS EM PAZ!

6 comentários:

Raul Emilio Martins disse...

Que dizer?
Li e ri bastante...
Mas também me arrebatou uma certa preocupação pelo que nos espera. Que Mundo, que Europa, que País vamos deixar em herança às gerações vindouras? Que herança!
...
Também gosto da raça fotogénica que aqui deixas. Não podemos é comparar o "elenco" que apresentas com ela. Era deixar ficar mal essa raça.

Existente Instante disse...

Olá Raul

Sabes querido amigo, a minha raiva é essa. Três filhos, uma na Faculdade de Letras n0 3º ano "miséria bolonhesa" que vai obrigar a um mestrado, o miúdo, se tudo correr bem, a entrar na faculdade no ano que bem, a miúda no 5º ano este ano, e uma esposa Educadora de Infância que com quase 20 anos de serviço ainda é contratada, porque cometeu o crime de trabalhar no privado e quando saiu, apanhou a confusão toda que lhe não permitiu entrar nos quadros e como tal , todos os anos com a espada de Demócles sobre si.

Como Vês, uma preocupação imensa com este roubo, de um cidadão que não deve nada a ninguém, que cumpriu sempre as obrigações fiscais, que vive em casa alugada, que não viveu nunca acima das suas possibilidades, que não contribui para esta situação.

E se não puder pagar? E o que espera os meus e teus garotos?

Depois, hoje no Correio da Manhã, a ser verdade o que aí vem: sabes quantos colegas do quadro no meu Departamento de quem sou Coordenador estão sujeitos aos quadros de mobilidade ? Se criarem uma só disciplina com junção de Hist e Geo, no 3º Ciclo, fico eu e uma colega de Geografia praticamente com todas as turmas, 6 ou 7 colegas não sei o que deles será!
Sabes o que acontecerá a milhares de colegas de EVT? E de Francês, se acabarem com a 2ª Língua? E se decidirem acabar com as reduções por idade e as 22h em todos os horários?
600 milhões de poupança não se fazem cortando no papel higiénico, ou fotocópias: é nas PESSOAS. Aliás o "Económico-retardado" lá vai explicando que uma fatia orçamentada sem atribuição definida, será para os quadros de mobilidade...pois com desconto de salário mensal que ao fim de um ano pode atingir os 50%!

Uma desgraça Raúl!
A escola ensinou pouco a monstros obcecados com números, quase numa reflexologia económico-financeira de dinheiro oculto, completamente desprovida de humanidade, de sentido social. E ando eu a ensinar a minha miudagem que o Mundo deveria ser dos sensíveis, dos humanos e não dos espertos!?
Umas bestas!

Uma Europa falaciosa, hipócrita, criada numa bela ideia de Monet e Schuman, abastardada pela ideia do negócio e da equidade económica face aos EU e Japão. Uma Europa quem nem admira a quem sabe História: desde a Guerra dos Cem Anos, passando pelo poder Napoleónico, pela Guerra Franco-Prussiana, até a duas Guerras Mundiais! Nunca o foi fraterna politicamente ia-o ser agora!?
Quanto ao meu País...uma falência completa na moralidade, na decência, na ombridade na Justiça! Como na canção dos Água Viva " Dónde Los Hombres?"
E Contudo...A minha reaiva esconde uma esperança...neles, nos jovens! Ai quando esta malta nova acordar!?
Ai quando o capital do sonho, de uma nova ordem internacional, de justiça social se sobrepuser ao outro o dos "castradores de todos os reinos"! É que não haverá ovo onde se possa esconder coelhinho de Páscoa, nem esconderijo de filósofo de sarjeta em qualquer Sorbonne.
Coitados, não sabem História!
Abraço!

Henrique Santos disse...

EI, só há uma resposta: resistir e lutar Agora, até pela sobrevivência. Os funcionários públicos testemunham em pouco tempo um roubo de um terço dos seus rendimentos. Será que vão estar calados, esperar sem lutar?
Por outro lado, a luta sem convicção, sem valores, sem poesia, sem história, sem cultura, não vale nem metade se com elas.

Raul Emilio Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raul Emilio Martins disse...

Que poderei mais dizer, amigo Arlindo? "Pero,Donde los hombres?" Eis a questão!
...
Apenas juntar-me à tua/nossa esperança de um novo dia para os nossos filhos e agarrar-me à crença que eles acordarão o quanto antes e descerão "los montes" munidos dos valores, da poesia, de que o Henrique aqui fala.
...
E já que te agarraste a esse belíssimo poema do Rafael Alberti, dizer com ele aos jovens:
"Cantad alto, oireis que oyen otros oidos
Mirad alto, vereis que miran otros ojos
Latid alto, sabreis que palpita otra sangre"
...
Que belas recordações me trouxeste. Quando estudava em Loja (Granada) muitas vezes cantámos "Los poetas andaluces de ahora.
...
Tudo de bom para os teus e para ti e que continues encantado a ouvir "o Búzio marítimo da tua companheiramulheresposa, que bem merece.

IC disse...

Caro EI, tenho perdido os teus últimos escritos. Imperdoavelmente, ou talvez com algum perdão devido ao cansaço desta blogosfera docente que tão poucas exceções dignificam, e sobretudo pelo aturdimento e tanta tristeza ao ver que do legado daquela esfusiante esperança de uma madrugada de Abril resta para os meus netos (e tantos outros netos) uma escuridão igual (senão pior) àquela de que outrora julguei sair para sempre.
Não sei se ainda consigo pronunciar inteira a palavra e s p e r a n ç a, mas ainda me resta força para dizer: a luta continua!