domingo, 18 de dezembro de 2011

Dejetos


Ainda a respeito de conselhos de emigração para docentes de desemprego futuro...

Grande raiva grassa na minha classe...em mim não!

Nas minhas ruas de menino portuense costumava dizer-se alto e bom som para estupidez entranhada:

"Só ligo a merda quando estou distraído! " Não estou, nunca estarei com peraltas desta laia.

Depois pense-se no fenómeno: o dejeto saiu num processo de inversão muito comum em político, não pelo peso normal da gravidade em cavidade respetiva, mas numa outra que deveria estar fechada nos sintomas de diarreia mental.

Depois e ainda : como ligar a um fedelho imaturo, inculto, um "quequezito de apartamento" que não sabe, nunca soube o que é trabalhar no duro e suar o pão que o diabo amassou?

Na...Enganam-se os "parvinhos" dos meus colegas que acham que o fedelho imaturo é diferente do grande aldrabão compulsivo!! São levedura-massa fermentada na mesma masseira.

Mas há mais dejetos e um em particular faz-me sorrir tristemente porque vem de um blogue pretensamente de um docente e para a classe docente e que se diz de referência e até unha e carne com o poder instituído. Muito do que é lá escrito é de uma estupenda e magnânima estupidez, quando não de insulto abjeto aos professores. Mas o meu sorriso triste para esses dejetos advém de perceber, com os meus parcos conhecimentos de psiquiatria e análises longas ou curtas, que o individuo que as escreve está mentalmente em desagregação, num processo psicótico que até dói por baixo de algumas coisas que escreve. Conheço um excelente Psicanalista em Boston e até estaria disposto a peditório e tudo para o senhor... É que não sou nada a favor da Psipsiquiatria medicamentosa, pronto!

2 comentários:

Raul Emilio Martins disse...

"LEVEDURA-MASSA fermentada na mesma "MASSEIRA!"... Tudo dito!

IC disse...

Detenho-me no último dejeto que referes pois, nesta blogosfera de docentes, dita para docentes, que já pouco visito pela pobreza de escritos e pelas tristes caixas de comentários (não queria dizer "tristes" mas é para evitar o adjetivo que me apetecia usar)- ressalvando as poucas excepções -, esse senhor do tal blog que se dizia de referência deixa-me atónita e nauseada, já tendo pensado várias vezes que está mesmo psicótico. Quase que me faz pena, mas "quase" porque penso que, na realidade, simplesmente se sente agora acompanhado para ter coragem de revelar quanto a democracia o incomoda.