sábado, 31 de maio de 2008

Pode um homem...


Diário de uma página do meu hoje


É possível, pode, a angústia de um homem ser tão imensa,oceânica,que ponha maré vazia sua praia adentro?


Pode um homem chorar diluvianamente para o dentro d’ele, que só reste secura de deserto para o seu fora?


Pode um homem rezar “insacrílego” como Ele em Getsêmani ? “ ...E começou a experimentar pavor e angústia. Ele lhes disse: “Minha Alma está triste a ponto de morrer. (...) E indo um pouco mais longe, caiu por terra e orou para que , se possível esta hora passasse longe dele. Dizia: “Abbá, Pai, tudo te é possível, afasta de mim essa taça! Entretanto, não o que eu quero, mas o que tu queres!”. Mc 33,36


Pode um homem no seu apelo de silêncio, gritar tão alto, que Ele o ouça?


Só os Meus Filhos e Ela que em amor mos deu para sentir o quão incompleto sou, na minha pretensa aspiração ao completo. Só eles, para me reduzirem à minha mais completa insignificância-grandeza de os amar na proporção que sou amado. Por isso não consigo ser forte quando fragilizado estou, por isso, da minha e das deles, fragilidades, o recomeço incessante neste acto tão profundamente límpido e misterioso que é a vida.


Escrito neste blogue não sabendo porquê, embora me seja necessário como a respiração de escrevê-lo. Aqui, estilhaçado de mim, a tentar apanhar os bocados vítreos da recomposição, depois da minha “Trancinhas” ter sido submetida a uma delicada operação neuro cirúrgica no S. João.

El Greco- Agonia de Jesus no Horto

9 comentários:

Raul Martins disse...

Caro amigo,
Em silêncio também grito contigo "Abbá!"
Que tudo tenha corrido bem com a tua "Trancinhas".
Um abraço de um irmão em Cristo.

Fátima André disse...

Votos de rápidas melhoras para a sua "Trancinhas" e para os pais muita força e energia positiva porque ajuda imenso na recuperação desse dom maravilhoso que são os filhos.
Um abraço :)

Raul Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JMA disse...

Só um comovido silêncio de esperança.

Maria do Carmo Cruz disse...

Querido Instante,
todos os dias te procurava mas só te encontrava em Dreyer. Algo me dizia que não estavas apenas em "brooding time". O meu coração estava certo. Estou, como eles, contigo. E Ele també está contigo, bem o sabes.
A Trancinhas vai ficar óptima. Um beijo Amigo da Avó Pirueta

Maria do Carmo Cruz disse...

Adivinho o teu pudor, mas nós precisamos de saber o que nos puderes dizer. Julgo que digo isto porque tenho a coragem da idade. Mas não te sintas devassado, meu Amigo. São coisas do Coração. Um abraço com todos os abraços da Avó Pirueta e um toque de mão sobre a mão da Trancinhas.

IC disse...

Sou mãe e avó, passei por aqui e li, não poderia fazê-lo em silêncio, sem deixar uma palavra de confiança: a sua Trancinhas vai ficar bem!; que fique em breve óptima!

Os_meus_rabiscos disse...

Quando a vida nos empurra, ficamos assim, só sentir.

Anônimo disse...

Hoje, não diga nada se preferir o silêncio. Mas se tiver vontade de escrever, de partilhar, de gritar, de chorar, faça-o, porque ajuda muito.A força vai aparecer...
Um abraço carinhoso de uma mãe
Nídia